YOGA AJUDA AO ADICTO NA BUSCA DE SEU EQUILÍBRIO!

by Jaqueline Costa

O Yoga pode ajudar o dependente químico a recobrar a sua sobriedade.

Yoga é uma arte, uma ciência e uma filosofia. Toca a vida do homem em todos os níveis: físico, mental e espiritual. É um método prático quedá propósito à vida tornando-a útil e nobre.

Permite que cada parte do corpo fique em sintonia com a sua essência, levando o praticante a perceber ea experimentar o mundo dentro e ao redor de si mesmo, tocando a alegria divina de toda criação e compartilhando esse néctar divino de riqueza e felicidade com seus semelhantes.

“O Yoga Sutras” de Patañjali é compacto e conciso. Nenhuma palavra é supérflua. São compilados de modo a cobrir todas as várias facetas da vida, explorando cada uma profundamente. Patañjali mostra aos iniciados formas de adotar os princípios do Yoga adaptando suas técnicas em cada sutra para que se possa compreendê-lo com integridade, pureza e divindade.

Yoga é um amigo para aqueles que o abraçam sincera e totalmente, afastando seus praticantes da dor e da tristeza, permitindo-os viver plenamente, pegando gosto pela vida. Sua prática ajuda o corpo preguiçoso a tornar-se ativo e vibrante. Transforma a mente, tornando-a harmoniosa. Ajuda a manter o corpo e a mente em sintonia com a alma, a fim de que os três se tornem um só.

A essência do Yoga está muito mais na “respiração” do que na intensidade das posturas. O yoguin estabeleceu uma relação de intimidade com a respiração. Mais que um(a) melhor amigo(a). A respiração estará sempre ao alcance no curso da vida. Respirar bem é fonte de calma, tranquilidade e recuperação. É ela que dá vida às posturas. Restabelecer a conexão com o ato natural de respirar proporciona as sensações de limpeza, leveza e clareza.

A respiração consciente em cada postura mantém a mente alerta e faz com que a prática seja uma viagem exploratória e não caianarotina. Traz a mente para o momento presente, onde as distrações são minimizadas e torna-se mais fácil encontrar a essência do yoga – o domínio da mente e o restabelecimento da conexão com o próprio ser, que dá sobriedade.

 

 

 

Amar a nós mesmos

 

Nossa associação nos diz para primeiro cuidar de nós mesmos, que a vida e o programa vêm antes de todos e de tudo o mais. Mas é fácil confundir isso com narcisismo. Cuidar de nós mesmos não significa ser egoísta e ofender cruelmente os outros por amos a nossas necessidades. O propósito é aprendermos a amar e a cuidar de nós mesmos, pois somos muitos importantes. Somos quem está mais perto de nós mesmos. Se não nos amarmos a nós mesmos, quem amará?

 

Erich Fromm, famoso psicólogo, diz que se um indivíduo é capaz de amar de maneira fecunda, ele ama a si mesmo também; se ama só os outros, não ama de jeito algum. Consequentemente, precisamos amar e cuidar de nós mesmos para poder amar os outros.

 

Aprendi a amar a mim mesmo?

“Senhor, permita que eu aprenda a amar a mim mesmo para que possa amar-Te e aos outros.”

Padre Haroldo Rahm

 

 

Você pode se interessar também por:

3 comments

Selma Batista 15 de julho de 2015 - 09:31

Bom dia!!!

Cada dia que passa aprendo mais com amor exigente e tento passar para as pessoas que estão ao meu redor e hoje estou vendo como é importante amar a mim mesmo.
Sou voluntária há sete anos, portanto o voluntariado faz parte da minha vida e hoje estou voluntariando a mim mesmo.
Eu me amo!!!!

Reply
Enzo Mauro Ballarini 22 de julho de 2015 - 19:28

Fiquei devendo ao padre Haroldo, quando conversamos no congresso, o por quê de o Pavão ser o símbolo de Taubaté. Essa curiosidade partiu do fato de o padre ter ganho um quando esteve aqui para receber a cidadania Taubateana. Agora ele é ´´Taubatexano“.
Descobri que na verdade aquele Pavão é o símbolo do artesanato da cidade. Certa vez, num grande concurso de artesanato, o pavão construído por uma artesã daqui venceu e daí virou símbolo.

Reply
Ronaldo Risseto 25 de julho de 2015 - 12:59

Ele ja respondeu e agradeceu muito

Reply

Leave a Comment

×